Todos os posts

Notícias 10 min leitura

Setor das energias renováveis emprega 12,7 milhões internacionalmente

Setor das energias renováveis emprega 12,7 milhões internacionalmente
Escrito por
Grupo Oporto Forte
Publicado em 27 Set 2022

Relatório confirma crescimento de oportunidades no setor de energias renováveis apesar de crises; o aumento foi de 700 mil novos postos em um ano; modalidade solar é a que mais atrai profissionais.

Um novo relatório publicado pela Organização Internacional do Trabalho, OIT, e a Agência Internacional de Energia Renovável, Irena, aponta que o setor de energias renováveis empregou 12,7 milhões de profissionais em 2021.

Segundo o levantamento, o número representa um aumento de 700 mil novos postos de trabalho em um ano. A energia solar foi identificada como o ramo de crescimento mais rápido. No último ano, ela gerou 4,3 milhões de empregos, mais de um terço da mão de obra global atual em energias renováveis.

 

Transição energética

O estudo aponta que preocupações como mudanças climáticas e recuperação de empregos, tem levado um número crescente de países a criar empregos no setor de energias renováveis. Quase dois terços desses empregos se encontram na Ásia.

Apenas a China representa 42% do total global, seguida pela União Europeia e o Brasil, com 10% cada, e os Estados Unidos e a Índia com 7% cada.

O relato destaca certos desenvolvimentos regionais e nacionais notáveis, como em países do Sudeste Asiático, que se estão a tornar importantes centros de fabricação de energia solar fotovoltaica, que utiliza radiação solar, e produtores de biocombustível.

A China é o fabricante e instalador proeminente de painéis solares e está criando um número crescente de empregos no setor eólico offshore. A Índia acrescentou mais de 10 Gigawatts de energia solar fotovoltaica, gerando empregos relacionados com a sua instalação, mas continua dependente de painéis importados.

 

Oportunidades de emprego crescente

A Europa representa agora aproximadamente 40% da produção eólica industrial em todo mundo e é o exportador mais importante de equipamentos do setor, enquanto tenta reconstituir sua indústria de fabricação solar. 

O papel da África ainda é limitado, mas o relatório destaca que existem oportunidade de emprego crescentes no setor das energias renováveis descentralizadas, especialmente, para apoiar o comércio, a agricultura e outras atividades económicas locais.

No continente americano, o México é o principal fornecedor de pás para os aerogeradores. Já o Brasil permanece como o empregador principal no setor dos biocombustíveis, mas está também criando muitos empregos nas instalações eólicas e solares.

Nos Estados Unidos, uma base doméstica industrial para o florescente setor da energia eólica offshore está a começar a ser construída.

 

Empregos sustentáveis

O diretor-geral da OIT, Guy Ryder, afirmou que existe um foco crescente na qualidade dos empregos e nas condições laborais no setor de energias renováveis, para garantir a empregabilidade “decente e produtiva”.

Ele avalia que uma quantidade crescente de vagas preenchidas por mulheres indica que com formações é possível melhorar significativamente a participação das mulheres em cargos no setor de energias renováveis.

Ryder encorajou governos, trabalhadores e organizações a permanecerem firmemente conectado numa transição energética sustentável, indispensável para o futuro do trabalho.

O relato destaca que a expansão das energias renováveis deve ser apoiada por meio de pacotes de políticas completos, incluíndo formação para profissionais, para garantir que os empregos sejam decentes, de alta qualidade, bem pagos e diversificados, na busca de uma transição justa.

*Com reportagem da OIT

 

font: Artigo Nações Unidas

Fale com os nossos especialistas

Entre em contacto para mais informações

Ao submeter este formulário, declara que leu e aceitou a nossa Política de Privacidade